Gazeta recomenda

Bruno do KLB virou lutador de MMA; veja curiosidades sobre o trio que toca em Curitiba neste sábado

Além dele, Kiko e Leandro também seguiram carreiras bem diferentes da musical depois do sucesso do grupo, que comemora 18 anos de vida musical no Teatro Positivo

  • Da redação
  • 14/09/2018
  • 17:22
Bruno do KLB virou lutador de MMA; veja curiosidades sobre o trio que toca em Curitiba neste sábado O último disco do KLB, Um Novo Tempo, foi lançado em 2015. Mesmo "parado", o grupo não deixou de existir. Foto: Divulgação.

Um dos maiores fenômenos pop brasileiros dos anos 2000, o KLB volta a Curitiba neste sábado (15) com a turnê que comemora seus 18 anos de carreira. Kiko, Leandro e Bruno devem encher o Teatro Positivo de nostalgia com sucessos como A Dor Desse Amor e A Cada Dez Palavras.

Para ajudar os e as fãs a entrar no clima, o Guia Gazeta do Povo relembra algumas curiosidades do grupo e dos irmãos, que tocam juntos desde a infância e, nos últimos anos, enveredaram pelos ramos da política e das lutas profissionais, mas não desmancharam a parceria musical.

O show do final de semana ainda tem ingressos à venda pelo Disk Ingressos. Os valores ficam entre R$ 50 e R$ 220, mais taxa administrativa.

>> Adriana Calcanhotto mistura música e literatura em show em Curitiba

>> Franz Ferdinand faz show dançante e com nova formação na Ópera de Arame

>> Ingressos de camarote para o Natal do Palácio Avenida já estão à venda

1 — Foi a mãe quem deu o nome

Os três irmãos tocavam juntos desde muito cedo: eles montaram a primeira banda em 1990 — na época, Kiko tinha 11 anos, Leandro tinha nove e Bruno, seis. O trio tocaria em algumas bandas até 1998, ano em que recebeu a primeira música composta para eles, Uma Noite de Amor (Juno e Antônio Luiz). Nesse período, eles gravavam fitas demo em casa que a mãe, Regina, guardava com adesivos com as iniciais dos três. Pronto: estava dado o nome do grupo.

2 — Filhos de peixe

O pai de Kiko, Leandro e Bruno é Franco Scornavacca, que começou a carreira como músico, nos anos 1960, tocando guitarra no conjunto de jovem guarda Os Brasas. Na década seguinte, ele tentou seguir carreira solo, mas o sucesso veio mesmo como empresário: a partir do final dos anos 1980, ele administrou as carreiras de artistas como Lulu Santos, Zezé di Camargo e Luciano e Roberta Miranda. Inseridos nesse meio tão musical, os filhos acabaram se interessando desde cedo pela vida artística.

3 — Um milhão de cópias no primeiro disco

O álbum de estreia do grupo, KLB (2000), ganhou certificação de diamante no ano seguinte, dado naquela época aos discos que vendiam mais de um milhão de cópias no Brasil. É nele que estão sucessos como A Dor Desse Amor (que virou até nome de fã clube do trio), Ela Não Está Aqui e Por Que Tem Que Ser Assim?, músicas que o público de Curitiba pode esperar no show que acontece neste sábado.

4 — Cada um para um lado

Com o ritmo da vida nos palcos reduzido, os três irmãos seguiram caminhos bem diferentes na última década. Kiko se candidatou a deputado federal em 2010 pelo Democratas, em São Paulo, obtendo mais de 38 mil votos (ele não foi eleito). Leandro, na mesma eleição, se lançou a uma vaga de deputado estadual também em São Paulo pelo mesmo partido do irmão. Com 62 mil votos, ganhou uma suplência, e assumiu o cargo em 2013, com a morte do deputado Ary Fossen (PSDB). Bruno, por sua vez, tornou-se lutador profissional de MMA, com duas lutas no currículo, em 2012 e 2013. Ele venceu as duas, uma por nocaute a Izaque de Brito, e outra por finalizar Diego Mercurio.

Apesar dos rumos profissionais diferentes, os irmãos continuaram morando todos na mesma casa, em São Paulo, onde vivem também os pais Franco e Regina, a esposa de Leandro, a ex-Miss Brasil Natália Guimarães, e as filhas do casal, as gêmeas Maya e Kiara.

5 — 18 anos e a volta a Curitiba

A nova turnê, que passa por aqui no final de semana, comemora os 18 anos da carreira profissional do KLB, e marca também o retorno dos irmãos aos palcos depois de um hiato de mais de sete anos. Em entrevista à revista Quem em 2015, Kiko declarou que a decisão de “desacelerar” dos shows aconteceu por volta de 2010, quando o grupo percebeu que o mercado musical estava voltando suas forças para o sertanejo universitário. No período, o grupo “ficou parado”, sem ensaios ou gravações, como definem os próprios irmãos em entrevistas, mas não deixou de existir, e lançou dois trabalhos: 3D (2011) e Um Novo Tempo (2015).

Na internet, é possível encontrar relatos do primeiro show do trio em Curitiba, em 25 de agosto de 2001, no Marumby Expocenter (veja foto abaixo). Eles ainda voltariam à cidade em 2005, para outra apresentação, e em 2008, para um evento de divulgação do álbum Entre o Céu e a Terra. 

Foto: Luis Augusto Costa/Arquivo Gazeta do Povo

Tags

8 recomendações para você

Deixe sua opinião

Mais lidas do Guia

Quem tem

tem descontos

Garanta já seu desconto