Gazeta recomenda

“Somos descendentes dos extraterrestres”, garante pesquisador e apresentador do History Channel

Dupla de pesquisadores mais popular de presença alienígena na Terra é atração de congresso de ufologia em Curitiba.

  • Sandro Moser
  • 10/12/2018
  • 14:35
“Somos descendentes dos extraterrestres”, garante pesquisador e apresentador do History Channel Giorgio Tsoukalos (de boné) e Erich von Däniken: eles estão entre nós. Fotos: Caroline Hecke/divulgaçã
alien alien alien alien

As duas vozes mais populares na defesa da presença alienígena na origem da civilização humana estiveram em Curitiba ao mesmo tempo no dia 8 de dezembro. O escritor Erich von Däniken – autor do best seller Eram os Deuses Astronautas? - e o apresentador de tevê Giorgio Tsoukalos – do programa Alienígenas do Passado, do History Channel -  foram as atrações do Internacional UFO Summit Brasil 2018 realizado na Expo Unimed em Curitiba. O evento promovido pela revista UFO foi o maior encontro de ufologia da história do país e teve cerca de dois mil inscritos.

LEIA TAMBÉM 

>>> Circo tem gorila de 9 metros e Globo da Morte com vão livre 

Giorgio e Erich têm muito em comum. Além de ambos terem nascido na Suíça, os pesquisadores têm certeza que os extraterrestres estiveram na terra no período da Antiguidade, plantaram várias sementes que transformaram a cultura da humanidade, a paisagem do planeta. E, mais importante, voltarão algum dia quando nós merecermos a visita.

“Nós [a humanidade} somos os descendentes dos extraterrestres. Eles mudaram nosso DNA e nos deram inteligência e conhecimentos. É por isso que estamos aqui: para espalhar este conhecimento e mostrar como podemos nos tornar uma civilização  melhor”, disse  Tsoukalos em entrevista exclusiva ao Guia Gazeta do Povo 

Quarenta anos mais jovem, o apresentador  tem com o escritor a devoção de um aluno para seu mentor.  Só não os chame de ufólogos. A expressão que melhor define ambos é “teóricos dos astronautas ancestrais”. “Von Dänikken é a maior autoridade no assunto no mundo e seus livros são os textos mais importantes já escritos”, assegura Ademar Gevaerd, editor da revista Ufo e organizador do evento.

O escritor se tornou popular no mundo todo em 1968, com a primeira edição de Eram os Deuses Astronautas, livro que resume a teoria de que os deuses dos povos da antiguidade eram, na verdade, viajantes espaciais. Ele conta que sua pesquisa começou no colégio jesuíta em que foi educado na Suíça. Ao traduzir trechos da bíblia do latim para o alemão – principalmente o livro do profeta Ezequiel – ele começou a desconfiar de algo errado na interpretação.

“O texto [do profeta Ezequiel] fala do céu se abrindo e alguém descendo em meio ao fogo e a fumaça com  barulho ensurdecedor. Isto não é Deus. Deus está em todo o lugar, não precisa de um veículo. Assim surgiram as minhas primeiras dúvidas que me levaram a pesquisar este tema durante toda a minha vida”, explica.

Lendo textos antigos, ele notou que em muitas outras comunidades, em diferentes estágios civilizatórios, há relatos semelhantes sobre deuses que desceram dos céus.

Para os estudiosos da teoria dos astronautas ancestrais, as noções de filosofia, astronomia, agricultura, arquitetura e engenharia foram passadas pelos extraterrestes para povos antigos do Egito, da Europa, da América, etc...

Mas ao contrário do que seu detratores propagam, a teoria dos astronautas ancestrais não defende que foram os alienígenas quem construíram os marcos arquitetônicos da antiguidade como as pirâmides do Egito ou as cidades maias. “Tudo foi feito por mãos humanas, com sangue, esforço e suor, mas como conhecimento que foi entregue pelos deuses. Quais deuses? Esta é questão central”, diz Von Dänniken.  

Com a autoridade de quem já respondeu milhares de vezes a mesma pergunta, Von Danniken explica por que os alienígenas não nos visitam há milhares de anos. “Eles sabem como iriamos reagir. Eles sabem que se eles voltarem agora nos enlouqueceríamos de medo. Todos iriam se posicionar contra”. Para ele, isso só vai mudar com o trabalho paulatino que ele ajuda fazer de mudar a mentalidade das pessoas.

“Cegos demais para ver”

Segundo Tsoukalos, as evidências da presença alienígena “saltam aos nossos olhos, mas estamos cegos demais para ver. Nenhuma das coisas sobre as quais vamos falar são proibidas ou escondidas. Tudo está nos livros, nos sítios arqueológicos nos textos antigos, nos museus”. Eventos como esse em Curitiba, assim como os livros e os programas de teve, são a forma de fazer estas evidencias chegaram aos corações e mentes de cada vez mais pessoas.

“Queremos mostrar que não estamos sozinhos e precisamos ser mais humildes. Pensamos que somos o auge da criação. Somos apenas mais uma entre bilhões de outras formas de inteligência. Algumas delas vieram até a nossa. Tenho certeza que iremos algum dia até outras”, resume. 

A única divergência entre professor e aluno é quanto a um possível programa voluntário de abdução. Se abrissem vagas para viagens extraterrestres, Tsoukalos seria “o primeiro da fila”. Já Von Danniken afirma que embarcaria com prazer “desde que ficasse combinado que eu poderia vir morrer em casa."

Tags

8 recomendações para você

Deixe sua opinião

Mais lidas do Guia

Quem tem

tem descontos

Garanta já seu desconto