Em 1987, Edmond Rostand tem dois filhos antes dos 30 e está desesperado por trabalho há dois anos. Sem conseguir escrever nada, ele oferece uma peça para Benoît-Constant Coquelin, sobre comédia heróica, mas há um problema, ele ainda não escreveu.