O longa reúne depoimentos de Ziraldo e companheiros, como o cartunista Jaguar, contemporâneos de início de carreira como Maurício de Sousa, estudiosos, colaboradores e fãs. O personagem, considerado um clássico dos quadrinhos, foi tema do primeiro gibi brasileiro em cores e de um único autor. Atual, suas histórias valorizam o meio ambiente, a inclusão social, além de terem a marca do autor, que consegue unir a leveza do humor e da ingenuidade à postura crítica diante da realidade social e política brasileira.